Copy
EDIÇÃO #001 — AGOSTO 2020
É com entusiasmo que lançamos aquela magazine! 
Todos os meses, queremos deixar-vos a par do que estamos a desenvolver, dar-vos a conhecer pessoas que nos inspiram, partilhar notícias empolgantes do universo da fermentação e acima de tudo comunicar directamente convosco.
A família vai crescer!

Vamos lançar o nosso sabor sazonal - verão 2020! 
Aos nossos clássicos - original, gengibre e hortelã - vamos adicionar, esporadicamente, edições limitadas à base de sabores da época. Queremos explorar o que a natureza nos dá no seu próprio tempo, adicionando à fermentação de Aquela Kombucha produtos locais e da estação. 

Aproveitamos para utilizar os sabores sazonais como meio para apoiar causas que nos sensibilizam. Certamente que estão curiosos por saber qual é este novo sabor e a causa que vai apoiar, mas por agora só podemos adiantar que é uma fruta da época!

QUEM ADIVINHAR GANHA UM TRIO DE OFERTA! 
ENVIA O TEU PALPITE PARA QUERO@AQUELAKOMBUCHA.PT 

Na próxima edição de aquela magazine vão saber tudo ao pormenor.
Apoiamos o sorteio solidário:

Contra o racismo e a desigualdade social.

Somos contra qualquer desigualdade e forma de racismo. Acreditamos que cada um pode contribuir com o que tem para combater, ou ajudar quem combate por esta causa. De certa maneira, estreitar o fosso entre quem menos pode e quem mais tem!
A Teresa Sousa e os Marques e Almeida partiram para a ação, num modelo de sorteio de cabazes, e convidaram-nos a contribuir com Aquela Kombucha para um dos cinco cabazes, compostos com produtos e obras de 30 marcas e artistas. Para concorrer basta comprar um bilhete de 2 euros em: www.ppl.pt/causas/racismo
Esta ação pretende angariar dinheiro para associações que se encontram no terreno a fazer trabalho chave para promover a tolerância e consciência da sociedade Portuguesa e proteger as comunidades que mais precisam. 
A totalidade do valor angariado será doado a associações que lutam contra o racismo e a desigualdade social em Portugal. 

Estamos felizes de poder contribuir, de ver estas ações a acontecer e acima de tudo esperançosos de que este seja o tempo da mudança, de virar a página da supremacia.

.
A Ana Roque, produtora de conteúdos e fotógrafa, passou pela nossa fábrica com a sua máquina para se apresentar, conhecer-nos e tirar umas fotos. Vale a pena descobrir e seguir o seu trabalho. 

CATARINA
VALENTE

Professora e Chef de
Alimentação Saudável
Medicina Ayurveda


@tualmaveda 

tualmaveda.com
 
Primeiros habitantes da Terra
As bactérias foram dos primeiros habitantes no planeta Terra. A partir da fermentação entre elas e das mutações que este processo criou formaram-se o resto de seres que vemos hoje. Seres que nos rodeiam e habitam dentro e fora do nosso organismo. Daí a importância de consumir alimentos fermentados “vivos” (em cru) para recuperar a saúde intestinal e saborear pratos saudáveis e deliciosos. 


Método de conservação
A fermentação foi a maneira mais simples de conservar os alimentos na antiguidade, aqueles que se podiam estragar de uma estação para outra. Foi usada ao longo da história por todas as culturas do mundo. 
Antes da aparição dos frigoríficos, este método era usado para preservar os alimentos durante longos períodos de tempo, pois não estam disponíveis alimentos “fora de época”. 
Nos países onde o clima era frio, a escassez de alimentos de origem vegetal provocava doenças e desnutrição no geral, por isso as populações recorriam à fermentação como forma de contornar esta limitação.


Na nossa cultura existem alimentos que foram fermentados toda a vida: as azeitonas, a cebola e alguns vegetais. Alimentos que tradicionalmente se conservavam em sal, ingrediente principal da fermentação. 


Esta tradição foi-se perdendo devido à revolução industrial que trouxe consigo técnicas devastadoras que matam as bactérias benéficas (pré e pró bióticas) presentes naturalmente nos alimentos. Como? Através da pasteurização e da utilização de produtos químicos. Neste caso, já não podemos falar de alimentos vivos, mas sim de comestíveis para o paladar. 


Como fermentavam os antigos?
Colocavam os alimentos que se iam estragar (recolhiam o que horta dava no verão para comer durante o inverno) entre camadas de água e sal dentro de algum recipiente. Quando viajavam levavam consigo estes frascos, já que não tinham acesso a alimentos frescos. Assim garantiam as vitaminas e minerais necessários que lhes ajudava a prevenir doenças como o “escorbuto”, a combater bactérias e a melhorar a saúde em geral. 


Esta tradição ainda se mantém em países que guardam os seus costumes como é o caso da Coreia com a elaboração do Kimchi, o Japão com o Miso e a Indonésia com o Tempeh. Nestes países a fermentação é todo um acontecimento que envolve a família e, inclusive, os vizinhos. 


Na nossa cultura devemos voltar a consumir alimentos fermentados de qualidade como vegetais fermentados, kombucha, picles… Alimentos que nos nutrem e que nos fazem voltar a desfrutar de sabores únicos, como quando comemos umas boas azeitonas condimentadas com ervas aromáticas.

 
Link
Facebook
aquelakombucha.pt
aquela magazine - fonte Karte desenhada por Diogo Rapazote
Copyright © 2020 AQUELA KOMBUCHA, All rights reserved.


Want to change how you receive these emails?
You can update your preferences or unsubscribe from this list.

Email Marketing Powered by Mailchimp