Copy
28 de agosto de 2020
Bom dia (boa tarde? boa noite?) <<Nome>>

Esta semana Interfaces resolvemos analisar o potencial do Microsoft Surface Duo. Sabemos que é algo que nunca veremos lançado aqui, mas gostamos da possibilidade de a Microsoft ter criado um smartphone realmente diferente para produtividade. 

No mundo real, temos fabricantes como a LG entrando no mundo da saúde high-tech pessoal, uma pulseira da Amazon que respeita sua privacidade, LGPD valendo, Apple brigando com todo mundo e TikToks explicando a treta do TikTok. Boa leitura e até semana que vem! - Henrique e Samir. 
Eletrônicos de consumo
Quanto vale seu dinheiro?
Com US$ 1.300, você compra um grande Samsung Galaxy Note 20 Ultra nos Estados Unidos. Ou um pequeno e dobrável Galaxy Z Flip (sem 5G).

Mas por US$ 1.400, o Microsoft Surface Duo vai com você para casa, e a Microsoft parece que decifrou dois grandes mistérios do mercado de smartphones: o dos dobráveis e da produtividade móvel.

Nos últimos dias, 50 pessoas - jornalistas, influenciadores - nos EUA receberam o produto, anunciado semanas atrás. A estratégia de comunicação foi muito básica e eficiente: uma caixa enorme com o Surface Duo e fones de ouvido sem fio dentro, pode fazer unboxing (argh), não pode ligar o aparelho. Quer dizer, usem, mas não mostrem ele ligado ainda.

A questão do dobrável é inteligente demais: em vez de investir em telas que dobram ao meio (oi Samsung, Motorola), duas telas com uma dobradiça e software (aparentemente) muito bem feito amarrando tudo. O software também move a produtividade (afinal, Microsoft) e temos o aparelho do ano?

A Microsoft criou um formato interessante: o Surface Duo pode ser usado fechado (com os fones apenas em uma ligação/reunião), aberto com as duas telas ou fechado como um celular uma tela apenas, usando a caneta do Surface e permitindo usos diversos. É uma possibilidade de aumentar as possibilidades para o consumidor. 

No fim das contas, é quase mesmo preço - a escolha pode ser por um Galaxy Note 20 Ultra que é uma melhoria da versão anterior, mas não enche muito os olhos e pede um upgrade geral (vemos os dobráveis + canetinha ocupando esse espaço em um futuro próximo). Ou um smartphone com dobradiça, caneta e especificações técnicas OK, mas com um resultado bem diferente. Pena que nunca veremos o Surface Duo por aqui.

Porém, ligando o modo "advogado do diabo", a Microsoft (e seus parceiros de hardware) vem tentando emplacar notebooks e tablets com caneta faz tempo, mas ninguém (alô fabricantes de computador) entendeu como implementar isso direito - quem chegou mais perto foi a Samsung, que copiou o que faz com a linha note e suas S-Pen.

Talvez o Surface Duo quebre essa maldição em um novo mercado, mas para isso terá que aprender com os sul-coreanos, que apresentam uma caneta menor que já vem com o produto e que fica embutida nele, o que não acontece no Duo. 
Microsoft criou o híbrido para produtividade que ninguém ousou até agora. (Microsoft/Divulgação)
Desinfetante
A LG anunciou o produto tecnológico mais relevante na pandemia: uma máscara com filtros purificadores de ar. Sem preço ainda, começa a ser vendida no último trimestre em alguns mercados selecionados.

No Brasil, a fabricante passou na Anatel os fones Tone Free, que têm uma caixa autolimpante
Quantas camadas de Photoshop tem essa máscara no rosto do moço do banco de imagens? (LG/Divulgação)
Dobra e anota
A Samsung apresenta o dobrável Z Fold2 de forma completa semana que vem (1/9), mas um youtuber chinês já botou as mãos no smartphone, que vai ser bem caro no Reino Unido (mas mais barato que o Fold original).

E no Brasil, a subsidiária local conta os preços do Galaxy Note 20. Já nos acostumamos com a ideia de que vai ser caro. O preço dos fones-feijão sem fio Galaxy Buds Live já vazou no varejo (um clássico): R$ 1.399.
Tela quente
Em outra área de negócios da Samsung, o rumor do momento na Coreia é a próxima geração de tecnologia em TVs, que deve ser um híbrido entre OLED e QLED.
Novos produtos/conceitos da semana
  • Zenfone 7: Asus anunciou um smartphone igual ao Zenfone 6, mas com câmeras melhores, versão com 5G e tela maior.

  • Fairphone 3: nova versão do smartphone modular-ético (parece que não faz sentido a frase, mas faz).

  • Remarkable 2: tablet de e-paper com canetinha (gatilho pro Samir). Segue lindo e com sérios problemas de software. 

  • OM 4: atualização do gimbal (nome chique para tripé com estabilização) para smartphones da DJI. Parte legal é o conector magnético do telefone. 

  • Vazou um vídeo do LG Wing, smartphone… com a tela dupla em "T" (chega a dar saudades dos Nokia) dos anos 2000.
     
  • Xiaomi mostrou um vídeo da sua "terceira geração" de tecnologia de câmeras frontais embaixo da tela. Parece interessante, mas não mostra de perto tirando as selfies...
Zenfone 7 mantém sistema de câmeras com sistema mecânico (Asus/Divulgação)
Seria o mesmo sem a pandemia
O IDC soltou os dados do mercado brasileiro de tablets, que segue em queda. Foi o pior trimestre em quatro anos. 
Ainda é caro
A estratégia do Google para criar seus produtos - e dar um preço razoável -  aos seus smartphones mudou, e as vendas aumentaram
Não é o Master Chief
A Amazon anunciou lá fora o Halo, serviço, app e dispositivo fitness que monitora sua saúde, sua massa corporal e seu estado de humor.

Interessante ver um produto Amazon sem integração com Alexa e cheio de regras (mais que necessárias) de privacidade.
Amazon começa a olhar para mais um mercado e coletar mais dados, mas de um jeito diferente (Divulgação / Amazon)
Até a Apple falha
Airpower: o acessório da Apple que apareceu pela primeira vez em 2017, nunca foi lançado e seu projeto seguiu para a gaveta em 2019.

Um protótipo do carregador sem fios apareceu no mundo selvagem e, desmontado, prova que os engenheiros complicaram demais o projeto.

Achados Amazon da semana
Cultura digital
guardião dos dados
Caso tudo corra bem (e assustadoramente, para parâmetros brasileiros, parece que vai), a Lei Geral de Proteção de Dados segue nos próximos dias para a sanção da Presidência da República, após aprovação no Senado e a aprovação da estrutura da Autoridade Nacional de Proteção de Dados.

A LGPD seria adiada, mas o Senado resolveu adiantar a validação da lei para ela passar a valer antes das eleições. Só que para isso acontecer, era necessário criar a ANPD a toque de caixa. Para isso o decreto foi feito e seus membros devem ser nomeados o quanto antes.

Nos próximos dias devemos saber mais detalhes do desenrolar de como e quem serão os guardiões do destino de nossos dados.
Limpeza
O YouTube anunciou que apagou 11 milhões de vídeos no segundo trimestre de 2020 em todo o mundo - 981.181 no Brasil, que segue em terceiro lugar no ranking de vídeos removidos. Os motivos são muitos e velhos conhecidos: segurança infantil, violência, golpes, nudez, intolerâncias em geral. 

O interessante é que os números de vídeos apagados na pandemia é maior que antes da crise global: com moderadores em casa, os robôs apagaram mais conteúdo. 
Facebook entrou na frente da Epic
A atualização do iOS 14 vai apertar o cerco da privacidade do usuário no smartphone, restringindo o rastreamento de ações para anúncios nos iPhones. E o Facebook não quer que isso aconteça e vai disputar com a Apple a questão.

A arrelia entre as duas empresas já está no nível "Facebook quer contar para todo mundo dentro do app que a Apple cobra 30% dos desenvolvedores" - e a Apple já barrou a atualização do Facebook que queria dizer isso.

Nesse caso específico, a notificação era sobre os eventos online pagos dentro do Facebook, que tentou se justificar dizendo que estamos em uma época de crise e os criadores precisam receber mais dinheiro. A intenção é boa, mas... o inferno está cheio delas. 

Curioso que o Facebook mandou a mesma notificação no app para Android, mas ela não apareceu para os usuários. 
mensagens pela democracia
O Telegram (pegamos pouco no pé dele aqui, precisamos falar mais) vem se mostrando a ferramenta de mensagens essencial nos protestos pela democracia na Bielorússia
O que o Facebook fez certo esta semana
Anunciou a chegada do programa Facebook News a mais países, incluindo o Brasil. Veículos serão pagos para publicar seu conteúdo na rede social.

Mas será que é ético para o jornalismo receber dinheiro do Facebook? 

E o Instagram processou vendedores de likes nos EUA e no Reino Unido.
O que o Twitter fez certo esta semana
Disse que vai começar a limitar a visibilidade de tweets com o mesmo texto copiado e colado. O próprio Twitter chama a técnica de "copypasta" e os operadores de bots políticos não devem estar muito felizes. Que pena!
Pulou fora
O perrengue americano do TikTok prossegue, com o Facebook jogando pesado com ajuda da Casa Branca, uma possível venda saindo em breve (fortes concorrentes: Microsoft, Oracle e o azarão Walmart com uma das duas).

E Kevin Meyer, CEO-que-veio-da-Disney, pulou fora depois de três meses no cargo. Washington Post e CNN explicam a saída… em dois TikToks. 
Editoria gente legal da internet
NA INTERNET TODO MUNDO PODE SER UM CACHORRO
Ou um especialista em idiomas, mesmo não sabendo nada. 49% das entradas na Wikipedia em um dialeto antigo escocês foram escritas por um adolescente americano que não fala o idioma. O moleque usou o Google Tradutor e colou na enciclopédia, com textos cheios de erros ortográficos e gramaticais. 
Futuro
Substituir atores e atletas (e famosos) por deep fakes na publicidade em vídeo, por conta das limitações da pandemia. E tem brasileiro envolvido no projeto. 
Games
Caindo para cima 
O sucesso de Fall Guys é enorme: o jogo segue batendo recordes na Steam e se estabelecendo como o mais baixado na PSN Plus, e em outubro já teremos a segunda temporada do jogo, com temática medieval.

A desenvolvedora de Fall Guys está realizando uma disputa envolvendo marcas para arrecadar dinheiro para caridade - até uma fábrica de bidets (sim, lavatórios) entrou na brincadeira.
Fall Guys, agora com dragões na segunda temporada (Youtube/Reprodução)
Opening Night Live da GamesCom
Poderiamos listar aqui os anúncios todos, mas o pessoal do Zoom fez isso, com os vídeos e tudo mais muito bem organizado. 
No olho do furacão
Uma das coisas mais interessantes do novo Flight Simulator é a possibilidade de voar com a simulação das condições meteorológicas em tempo real.

E os jogad… os simuladores estão levando seus voos diretamente para dentro do furacão Laura para ver como são as condições de navegação dentro de uma tempestade desse tipo.
Evolução
A Lego se juntou a Nintendo para fazer os kits do NES, do Mario e sabe-se lá o que mais que deve estar para sair do forno na Dinamarca, mas isso não era o bastante para essa pessoa… ela quis ir além e fez o negócio funcionar de verdade.
Cada latido é um flash
Conheça o novo jogo: Pupperazzi.
Direito autoral para que?
O Kotaku notou que, mais uma vez, o presidente brasileiro usou uma música do Sonic em um vídeo em suas redes sociais.

A comunicação do Planalto vem tentando se aproximar do público jovem e gamers são um prato cheio para o presidente - junto com otakus, outro nicho que ele procura cativar sempre que possível. Detalhe para os adjetivos nem um pouco elogiosos escolhidos para descrever Bolsonaro pela publicação.
Segue a luta
Apple e Epic continuam na disputa jurídica, mas jogadores de iOS e Mac já têm uma má notícia: vão ficar fora da próxima temporada de Fortnite, com skins da Marvel, e a Epic mandou e-mails para avisar os jogadores disso.

Na prática, passamos a ter um Fortnite para todo mundo e outro diferente (e congelado no passado) para as plataformas da Apple. O resultado final poderia ser muito ruim para as duas empresas no caso de um racha.
Leituras longas
O futuro do jornalismo de tecnologia
A OneZero entrevistou Casey Newton, editor de temas ligados ao Vale do Silício no The Verge. Se tiver tempo apenas para ler um link desta Interfaces, esse é obrigatório. 

A conversa só confirma nossa teoria de que, se acabarem Verge e Engadget, um monte de sites brasileiros de tecnologia acaba também. 
Antes dos fóruns…
O Ars Technica volta ao tempo dos grupos de usuários de computador - que se encontravam pessoalmente (lembram o que é isso?).

Falando em fóruns, o pessoal da Mel Magazine conta a história de um subreddit de exibicionistas online. 
O que o Windows 95 mudou?
Anil Dash, CEO do Glitch.com, tenta responder a essa pergunta e faz uma reflexão sobre como as pessoas se relacionam com o sistema operacional e seus computadores.
Falando com estranhos (ou não tão estranhos)
Um relato em texto e imagens do fotógrafo Will Patrick, que se aventurou em uma conferência de terraplanistas.

Na mesma linha, o Engadget ajuda a gente a conversar com aquele seu amigo, parente, conhecido que se radicalizou e acredita em bizarrices que leu na internet. Aquela pessoa que de razoável passou a duvidar de vacinas, achar que a China dissemina vírus pelas antenas de 5G ou que o Graal escraviza as pessoas que se perdem de seus ônibus.
Guias
O Manual do Usuário aprendeu a usar um Raspberry Pi, e todos nós deveríamos aprender também. E o NYT explica quem é a Palantir, que é um mistério perigoso na tecnologia.
Medo, Incerteza, Dúvida
Na Technology Review, as táticas dos QAnon para atingir (e acertar) um público sensível: os evangélicos. E lista as dúvidas sobre o GPT-3, um gerador de linguagem por inteligência artificial que está na nossa lista faz um tempo
Química
Falando em IA e redes neurais, a IBM Research anunciou um projeto muito interessante de automação de síntese de materiais químicos. Na prática, o sistema prevê reações químicas entre elementos. 
Techbiz
Tesla no Brasil?
Sim, mas não do jeito que você pensa: é um um projeto de energia (e fornecimento de baterias) da Vale. 
Expansão
Estamos empolgados com a Sity, concorrente do Uber que opera em 12 cidades brasileiras e quer chegar a mais de 100. Desejamos sorte e dinheiro de investidor para gastar.

Esperamos que, por ser brasileira e começar após as outras empresas, a Sity aprenda com os erros e respeite trabalhadores e usuários.
Mistéeeerio
O Nubank recebeu um aporte de US$ 300 milhões (R$ 1,6 bi) em junho, mas não diz de quem. Daqui a pouco aparece.
Compartilhe