Copy
18 de dezembro de 2020
Bom dia, <<Nome>>

Última Interfaces do ano. Quer dizer, não é a última porque não paramos. Mas as próximas edições serão especiais - melhores de 2020 no dia 25 e nossas previsões para 2021 no dia 31.

As edições estão sendo publicadas no site também - a partir de hoje, na sexta à tarde, para ajudar quem não recebeu por email ou quer ler com mais calma na web.

Boa leitura, indique Interfaces como presente de Natal para os amigos e… boas festas! - Henrique e Samir
Eletrônicos de consumo
Máquina de hype
O Samsung Galaxy S21 segue vazando muito.

Desta vez, temos cores e uma visão melhor do design e que o modelo S21 Ultra será compatível com a caneta S-Pen.

Também a data de anúncio (14 de janeiro, com vendas já no dia 29) parece correta - e Evan Blass segue com sua fama de mau - ele vazou também uma visão 360 dos fones Galaxy Buds Pro).

E detalhes curiosos aparecem - como o fato de a inteligência artificial Neon (uma startup com investimento da Samsung) não estar presente na nova família de smartphones e que alguns consumidores terão  acesso antecipado (!) aos aparelhos em mercados selecionados. Dezembro nem acabou ainda. 
Renderizações mostram como serão os S21 lançados no próximo mês (WinFuture/Reprodução)
A promessa é boa
Qualcomm e Google querem simplificar o processo de atualização do Android em smartphones com os processadores Snapdragon em um futuro próximo, garantindo upgrades por até quatro anos.

Ideia excelente, só precisa combinar com os fabricantes, que nem sempre fornecem atualizações para seus consumidores. 

Vide a Multilaser, que está há um ano sem atualizar o smartphone Multilaser H - nem uma mísera atualização de segurança apareceu. A fabricante diz que solta o update no dia 23 - a conferir.
Smartphones são pop
Uma das marcas que 2020 deixa no mundo dos smartphones é a de que smartphones mais baratos, porém poderosos, voltaram a ser bons. Vide o sucesso do Galaxy S20 FE, construído em plástico, mas com todos os recursos dos irmãos maiores (e mais caros).
Voar, voar, cair, cair
Estamos fascinados com o iPhone 6S que caiu de um teco-teco na região dos Lagos, no Rio de Janeiro, filmou toda a ação, foi encontrado e segue funcionando como se nada tivesse acontecido. Imagina se fosse o Nokia da cobrinha e a cratera que teria feito sem um arranhão.
assombração
Smartphones da Samsung e da Motorola andam tocando Baby Shark por conta própria - e no Brasil. Se acontece com a gente, vemos como um motivo justo para migrar para o iOS. 
Ocupando espaços
A TCL terceirizou a distribuição e venda de smartphones no Brasil para a Usina de Vendas - que já importa e comercializa quatro modelos no país. E a Positivo segue crescendo com sua linha de internet das coisas - mas ainda é só 10% da receita da companhia. 

Já a Realme prometeu um e-commerce para dezembro, mas mudou para janeiropediu desculpas por isso. Mas no comunicado a empresa diz que já tem produtos à venda, e nós perguntamos quais são.

A resposta? fones Realme Buds Q2 e smartphones Realme 7 e Realme 7 Pro, teoricamente já disponíveis nas lojas da B2W (procuramos e só achamos ofertas de marketplace).
Desinfeta daqui
Na expectativa da CES 2021, as marcas já começaram a soltar seus anúncios menores. O da LG nos parece bem legal: é um robô autônomo com luz UV-C para desinfetar ambientes. Mas será vendido apenas para empresas. 
Papa-léguas
A polícia do Reino Unido tem um novo aliado contra motoristas apressados: uma pistola de radar capaz de ler placas a quase 800m de distância. Se os alucinados brasileiros acham que termômetros na testa causam câncer, uma pistola dessas devem achar que faz uma pessoa criar asas.
Isso que é luxo
A startup de áudio Syng, fundada por ex-funcionários da Apple, anunciou seu primeiro produto: o The Cell, alto-falante espacial de US$ 1.500.
Falando em riqueza
Saíram os primeiros reviews dos fones Airpods Max, da Apple: The Verge | MKBHD | PC Mag | CNET | GQ. Em resumo, são chiques, têm bom som, mas todo mundo odeia a bolsinha de transporte.
Cronograma
A Huawei vendeu a Honor, sua submarca de smartphones, e o CEO da nova empresa quer lançar novos modelos já em janeiro.

Falando em Huawei, a empresa foi acusada de usar tecnologia de reconhecimento facial para identificar pessoas da etnia uighur em sua terra natal. Isso não é legal.
no site da interfaces
Esta semana tivemos também um review longo do iPhone 12 Pro Max e uma olhada rápida na pulseira Samsung Galaxy Fit2.

Achados Amazon de Natal
cultura digital
Vacinas tecnológicas
  • O anel inteligente Oura pode detectar infecções de Covid-19 antes dos primeiros sintomas. 
  • Vídeos de gatinhos na internet viciam, e vídeos de pessoas sendo vacinadas contra o novo coronavírus também. 
  • Questões de um mundo moderno: vamos precisar de um app para provar que estamos em dia com a vacina?
  • E até mesmo laboratórios como a Pfizer usam influenciadores para incentivar a vacinação nos EUA. 
  • Leituras longas: na Nature, porque os apps de rastreamento de contatos deram certo em alguns lugares e errado em outros. E na Elemental, a história do teste PCR.
Anel inteligente pode ser uma arma para detecção do Covid-19 (Divulgação/Oura)
Acharam o gigante
Todo mundo (err, os teoristas da conspiração) achando que o Sleeping Giants era um grupo patrocinado pelos globalistas. Realidade: dois estudantes de Ponta Grossa (PR), que viram uma oportunidade e, usando o poder das redes (muito bem usado pela turma da extrema direita, vale lembrar), mobilizou anunciantes contra conteúdos de qualidade duvidosa. Os dois se manifestaram para evitar problemas na justiça.
A vida do Facebook não é fácil
Depois das eleições americanas, muita gente tem pedido as contas no Facebook - um dos motivos podemos traduzir como "vergonha alheia".

A rede, que agora tem gente considerando uma "ameaça para a humanidade", vai aproveitar o Brexit para migrar seus usuários da terra da Lilibeth (para os íntimos e a audiência de The Crown) para as regras de privacidade dos EUA, saindo das mãos malvadas e restritivas da União Europeia. 

E ainda com o processo antitruste no ar, um exercício de imaginação: e se o Facebook não tivesse comprado o WhatsApp e o Instagram?
Mas a do Google também não é
Também alvo do governo americano, o Google tem três processos antitruste novos em andamento. A resposta pública do Google segue o padrão de "se mudar, perde o consumidor".
Foram de Zap
A queda rápida dos serviços do Google esta semana mostraram como somos dependentes de tudo que eles fazem. Reza a lenda que, para se comunicar durante o apagão, os googlers usaram o WhatsApp, do Facebook.
Agora no desktop
O WhatsApp liberou chamadas de voz e vídeo para sua versão web - já testamos aqui na Interfaces e funcionou direitinho - melhor do que esperávamos e em uma janela separada do mensageiro, o que é ótimo.
Eles que lutem
O Facebook segue descontente com a Apple e suas mudanças de privacidade no iOS que vão afetar o app, e resolveu publicar um anúncio nos jornais americanos para reclamar em público.  

Ainda bem que eles não mataram os jornais de vez... ainda tem para onde correr pra chorar.
Versão brasileira
Deepfake é coisa do passado. O negócio agora é deepdubbing, usar a voz original de um ator combinada a uma inteligência artificial para dublar personagens em outros idiomas com a voz original.
Finalmente
O Gizmodo Brasil fechou a caixa de comentários. A comunidade que se reunia ali vai migrar para algum lugar?

Aguardamos o dia que o G1 vai fazer o mesmo. 
E o Twitter segue tentando
Primeiro, a nova função que pretende “humanizar” as respostas, ao mostrar gostos em comum entre usuários antes do envio de replies (você vai xingar um estranho e recebe um alerta “você e o estranho gostam da novela Vale Tudo, vídeos de filhotes de panda e brigadeiro de colher” e isso, segundo o Twitter, tende a fazer a resposta ser menos agressiva e desumana.

A plataforma também está testando o @Twitterspaces, uma sala de bate papo por voz entre usuários - tudo que os usuários não pediram nem fazem questão.

E promete começar a verificar as contas de novo em 20 de janeiro.
Tchau, fica com Deus
O Twitter resolveu encerrar a vida do Periscope, recurso de transmissão ao vivo, e integrá-lo de vez ao app. 

E para não falar que o Google não encerrou a vida de produtos esta semana, agora foi o Android Things, um sistema operacional para internet das coisas que… não foi muito para a frente.
Ação/Reação
Semana passada falamos do grande site adulto denunciado por hospedar vídeos indevidos. Agora eles apertaram o botão nuclear e suspenderam todos os vídeos que são de usuários não-verificados (são milhões de arquivos).
Fãs de tudo
A Vice é o primeiro meio de comunicação a ter um canal no OnlyFans. Mas é só a parte de receitas do site, com conteúdos exclusivos e seguros para ver no trabalho.

De qualquer forma, o OnlyFans se mostra como uma triste alternativa para jovens na América Latina.
Fui trocado por uma IA
Relato pessoal do Henrique: o pessoal do Link/Estadão escreveu um ótimo material sobre inteligência artificial e GPT-3 e para testar a tecnologia, usaram meu review do iPhone 11 Pro Max como base para um novo texto automatizado.

Confesso que gostei da ideia, mas o resultado ficou esquisito. Ainda não é a hora que serei trocado por um robô!
Aula de ginástica
A Apple estreou nos EUA e alguns mercados o serviço Fitness Plus, e os primeiros reviews são bem positivos.
Consequências
A Apple TV+ tinha o plano de fazer uma série sobre a história da Gawker Media (aquela que fechou por conta do processo do bilionário Peter Thiel escondido atrás do Hulk Hogan).

Só que Tim Cook, que também não era fã da empresa, descobriu e mandou suspender a produção.

Vale lembrar que foi a Gawker que pela primeira vez especulou que Tim Cook era gay (válido para Thiel também) e, bem, era dona do clássico Gizmodo, que comprou o iPhone 4 esquecido em um bar (e segue banida pela Apple até hoje).
Wow, much years
Doge, o cão-meme, completou 15 anos. Parabéns para ela (seu nome original é Kabosu e vive no Japão).
Após anos de fama, Kabosu segue bastante fotogênica (Tumblr/Reprodução)
Fetiches
Existem redditors (participantes do Reddit) que fingem ser seu pai ou sua mãe online. Um dia ainda listaremos subreddits interessantes para nossos leitores.
games
Novidades na Twitch
Além da entrada de Pablo Vittar na plataforma (esperando jogar Cyberpunk 2077 - ou esperando a correção de bugs), palavras como “simp” (não sabe o que é, tiozão?), “virgem” e “incel” foram banidas na nova política contra assédio, que entra em vigor no dia 22 de janeiro.

A ideia é que as palavras não possam ser usadas como ofensa contra usuários ou em transmissões.
CyberFail 2077
Quando o lançamento do jogo mais esperado do ano se mostra uma grande lambança, não são apenas as críticas que batem pesado, mas os parceiros de negócio também: a Sony retirou Cyberpunk 2077 de sua loja do PlayStation até segunda ordem (correção de bugs e desempenho) e vai devolver o dinheiro para quem pedir. Para o Xbox, segue tudo normal.

Enquanto isso a produtora, CD Projekt Red, tem que se explicar para o público, o mercado e os investidores.
Pede pro papai
Conheça a história da criança que gastou US$ 16 mil em compras de Sonic Forces no iPad.
Uma hora
Foi o que levou entre o anúncio e o cancelamento do lançamento de Devotion na GoG (administrada pela CD Projekt Red, que realmente não está em uma boa fase).

A questão em jogo é uma ofensa ao presidente da China, Xi Jinping, que odeia ser associado ao Ursinho Pooh (que na nossa época se chamava Puff).
leituras longas
CPU
No NYT, um longo artigo sobre a importância da indústria de chips de Taiwan.
Pioneiro
Na OneZero, a história de Ben Gardiner, um dos primeiros ciber-ativistas na luta contra a Aids.
Miau
No Buzzfeed, uma visita à ilha dos gatos de Larry Elisson, fundador da Oracle. É antigo, mas ainda fascinante.
Do além
Joanna Stern, do Wall Street Journal, produziu uma série de vídeos sobre tecnologia para o "pós-vida" (e ajudar nas lembranças).
techbiz
Céu com nuvens
A AWS terminou a maratona de três semanas do Re:Invent 2020 com as clássicas previsões do Dr. Werner Vogels, CTO da Amazon, para o ano que vem (algumas legais, outras bem viajantes). A AWS também se prepara para aumentar - e muito - a capacitação de profissionais em cloud computing.
Indo para o mobile
Estudo do EBANX sobre comércio eletrônico em 2020 no Brasil mostra que compras online representam US$ 112 bilhões de dólares - sendo 47% desse valor em transações feitas pelo smartphone.
Bacon
Não gostamos do uso de reconhecimento facial para humanos, mas para porcos está tudo bem - e fazendas chinesas já adotaram a tecnologia.
Segue o Pix
A moda pegou e 30% das transferências entre bancos já são feitas usando o Pix, de acordo com o Banco Central. Mas cobranças por QR code com vencimento (como um boleto) foram adiadas para março
para fechar o ano
Mais um "unicórnio" brasileiro: agora é a Creditas, que levantou US$ 255 milhões em nova rodada de investimentos e está avaliada em US$ 1,75 bilhão. Será o último unicórnio de 2020?
Compartilhe