Copy
1 de maio de 2020
Feriado em meio a uma quarentena e com isolamento social vale a mesma coisa? Bom... Para o leitor da Interfaces pouca coisa muda, já que faça chuva ou faça Sol, sua caixa de entrada recebe nossa esperada mensagem. 

Esta semana tem um monte de coisa legal - de Zoom a (maus) influencers, LGPD adiada, pulseira inteligente dobrável... e mudamos a ordem das coisas, só para dar uma arejada :)

Boa leitura, bom feriado e nos vemos semana que vem - Samir e Henrique
Cultura digital
O mundo do Zoom
O Zoom conseguiu ofuscar os demais serviços de conferência em vídeo online. É fácil e simples de usar em qualquer plataforma, e seus números de crescimento - 300 milhões de pessoas participando de reuniões hospedadas na nuvem da Oracle, AWS e Azure - impressionam, apesar de toda semana alguém novo falar que ficar em calls o dia inteiro causa estafa (agora é a National Geographic que diz isso). 

Tanta videochamada faz o mundo da tecnologia se adaptar, seja com fabricantes de câmeras profissionais, como a Canon, atualizando software para permitir que seus modelos sejam usados como webcam, ou dispositivos de terceiros (ElGato) que conectam qualquer câmera melhor que essa webcam sem resolução que você vivia mantendo tampada por privacidade.

Meio óbvio que milionários já começaram a dar pitacos sobre como se comportar em chamadas de relacionamento com clientes de alto nível - envolve álcool. 

Mas a concorrência acordou para a facilidade do Zoom: Facebook, Microsoft Teams e Google Meet ampliaram recursos gratuitos das suas ferramentas, incluindo mais participantes nas salas, por exemplo.

Para o Zoom, pode ser até uma boa notícia, já que parte dos usuários que não paga pelos seus serviços pode migrar para outras plataformas. Enquanto isso, o Skype chora pelos cantos...
Zoom passou a ser parte da rotina no home office de muita gente (Zoom/Divulgação) 
Influenciador do que? E de quem?
Nos EUA, os TikTokers mais famosos estão em plena campanha contra Perez Hilton, blogueiro de fofocas da velha guarda. E Instagrammers estão usando um esquema antigo e conhecido para fingir que estão dando dinheiro - e tentar faturar um troco agora que viagens pagas, eventos e jabás em geral foram cancelados (mais um texto ótimo de Marie Declercq).

Por aqui, a Liliane Ferrari listou todos os problemas que Gabriela Pugliesi teve ao longo do tempo - a superexposição do último final de semana com a festinha em tempos de isolamento social não foi a primeira vez. Não deve ser a última também. 

Muito se debateu sobre como o mercado de influenciadores está inchado, saturado, desgastado. No final do dia, quem assina o cheque continua sustentando não só Pugliesi mas também qualquer desses influenciadores que se mantém só pelos números altos e não por um conteúdo cuidado e a criação de uma comunidade coesa e engajada. 

A gritaria fez com que ela perdesse seus patrocinadores e apagasse sua conta no Instagram (o cachorro dela segue ativo), mas a estrutura toda se mantém, com genéricos no lugar. 

E não é só no mundo fitness que isso ocorre, todo nicho tem aqueles que entregam números altos em uma apresentação para o cliente, mas que não passariam por um pente fino em comportamento, engajamento, criação de comunidade ou mesmo de coesão com a marca que está anunciando.

Basta ver quantos influenciadores migraram de smartphone e abandonaram seus iPhones para usar Androids que anunciaram em algum momento. Ou que sabem entregar um relatório completo profissional com resultados no final da campanha. 
Retrocesso da semana
O Governo Federal adiou de novo a Lei Geral de Proteção de Dados. É o segundo adiamento da LGPD, que já deveria entrar em vigor em agosto deste ano, foi jogada para janeiro de 2021 e agora para maio

Otimistas dizem que existe uma chance de aprimoramento da legislação, realistas dizem que é liberar o vale-tudo em um momento de crise - e que existe um mundo de tecnologias para rastreamento de Covid-19 para ser adotado sem muito critério com a privacidade do cidadão.
Nuvem
O Fantástico visitou "o local secreto onde os votos do BBB são computados". Oras, é um datacenter - se você já viu um, já viu todos. 

E o pessoal do Link/Estadão fez um resumo de como a internet mudou ao longo dessas 20 edições do reality  show, que "não é mais um jogo de inocentes", nos termos do Alexandre Inagaki.
Quarentena digital
O corte na capacidade de reenviar mensagens fez a viralidade de mensagens do WhatsApp cair em 70%. Tem que cortar mais, certo? (E tem gente que duvida que o zap é um vertedouro de lixo tóxico).
Nova cara
A CEO do YouTube diz que os perfis de vídeos vistos na rede mudaram com a pandemia - ao menos nos Estados Unidos. Por aqui, basta ver os vídeos em alta do dia e perceber que as lives são o ímã de audiência - o YouTube cita o termo como "horário nobre" da plataforma.

Fabio Coelho, presidente do Google Brasil, é realista em relação à pandemia e diz que quem "tiver prazo para a retomada está jogando na loteria". 

Em tempo: a principal YouTuber infantil de 2020 tem seis anos, é russa e está faturando US$ 18 milhões por ano. (sim, quase R$ 100 milhões por ano, mais de R$ 8 milhões por mês - dá pra fazer mais algumas contas simples pra te dar mais argumentos pra uma conversa de botec... digo, para uma chamada de vídeo, já que leitor da Interfaces não fura quarentena).
A força
Apesar de não termos Disney+ por aqui ainda, a Amazon Prime Video anunciou a chegada de um monte de filmes agora em maio, incluindo Frozen 2 e Star Wars: A Ascensão Skywalker, com direito a chamada na final do BBB20.
Que o jurídico esteja com você
A Disney+ vai realizar alguma ação online no 4 de maio, o Dia Star Wars. E já avisou no Twitter que todo mundo que usar a hashtag #maythe4th concorda com termos de uso da empresa. Mas não é nada demais, pelo visto.
UOL-flix
Mais um inesperado participante da guerra do streaming: o UOL, que lançou o serviço UOL Play nesta semana, com conteúdo de vários canais por assinatura. Ao ver a notícia lembramos que o UOL, na áurea época da internet de 2007-2010, tinha vários clones de serviços gringos: UOLKut, que depois virou UOLK, UOL Mais (que queria ser YouTube).

Ainda não testamos - e não sabemos se iremos testar. Samir só quer saber se "De Férias com o Ex" será exclusivo da plataforma.
Números enormes (1)
O Spotify bateu 160 milhões de assinantes, mas o uso do app durante a quarentena vem caindo. E o TikTok atingiu a marca de 2 bilhões de downloads do app.
Números enormes (2)
Trolls World Tour, filme lançado direto em plataformas digitais por causa de cinemas fechados em todo o mundo, já faturou US$ 100 milhões.

Pelo menos o Oscar 2021 tem novas regras que incluem o lançamento em streaming, sem cinemas. Enquanto isso, a propaganda do novo filme da Mulher Maravilha prevê estreia nos cinemas (sim, nas salas de cinema) em agosto - um tanto quanto otimista...
Alô, dr. Internet?
Um potencial uso para os cães-robóticos-assustadores da Boston Dynamics: telemedicina. Temos medo. Mas também tememos o uso indiscriminado (e muitas vezes ineficiente) de oxímetros para checar a quantidade de oxigênio no sangue.
O que o Elon Musk fez errado esta semana?
Foram dias atípicos, já que fez pouca lambança, só falou bobagem no Twitter contra a quarentena, em uma semana que vieram à tona informações sobre o relacionamento um tanto quanto próximo - nada ilegal - das duas empresas da figura (Tesla e SpaceX).

Seria Elon o véio da Havan deles?
Netiqueta 2020
O tédio leva as pessoas na quarentena a fazer contorcionismos ou malabarismos quando estão sozinhas (clique por conta e risco). Não é à toa que dizem que homens vivem menos. 

Vale lembrar que o conceito de "not safe for work" se transforma em "lembrar que tem uma câmera ligada quando estou na call sem usar calças", "não compartilhar a tela na chamada quando estiver com o zap aberto no grupo do futebol" e, dependendo do caso, "lembrar que tem criança em casa". Samir defende que se você trabalha em casa não existe nada que seja NSFW.

Destaques amazon da semana
Eletrônicos de consumo
Mundo intermediário
As fabricantes de smartphone seguem a todo vapor lançando modelos intermediários:
  • a Motorola trouxe o G8 Power Lite com bateria de grande capacidade
  • a Samsung lançou o Galaxy A31 com quatro câmeras e também bateria grande
  • a Huawei volta a ser notícia com o lindo-e-caro Nova 5T, um aparelho antigo que ainda tem serviços do Google
  • E o iPhone SE chegou às lojas no Brasil.
Números regionais
Samsung, Motorola e LG foram as líderes no mercado brasileiro de smartphones em 2019, de acordo com dados da Counterpoint Research. O estudo traz dados da América Latina, onde a Huawei ainda aparece em segundo lugar no México, Peru, Colômbia, Equador e Chile.

De qualquer modo, a previsão geral é de queda no mercado no futuro próximo.

Em tempo: a Huawei passou a Qualcomm no mercado chinês de semicondutores.
Monóculo
Os desenvolvedores da Halide Camera, um dos melhores apps de câmera feitos apenas para iPhone, fizeram uma análise do software do novo iPhone SE e como ele consegue gerar imagens com o fundo desfocado mesmo apenas com uma câmera.
Pipa de rico
O DJI Mavic Air 2 é o drone cheio de superlativos, com melhor câmera e duração de bateria. Segue como brinquedo para poucos.
Curvas
Não acreditamos muito em financiamento coletivo para hardware (pela chance de tomar um calote), mas a Amazfit X, da Huami, é uma pulseira inteligente que mexe com nossos corações: tem uma tela AMOLED curvada e vem cheia de recursos.
Bonito e funcional, o Amazfit X promete (Huami/Divulgação)
Upgrade
Os fones sem fio Galaxy Buds, lançados pela Samsung ano passado, ganharam uma atualização de software e agora têm recursos parecidos com os novos Buds+.

As novidades incluem a capacidade de se conectar a múltiplos dispositivos ao mesmo tempo e o atalho para Spotify com um toque. 
Reviews
Pixel Buds são a estrela da semana no mundo intra-auricular (Google/Divulgação)
Crise
Pesquisadores de segurança descobriram que o navegador padrão de smartphones Xiaomi (e algumas variantes disponíveis na Play Store) levam dados pessoais para a China e outros países. A fabricante nega as acusações.
Antivírus
Uma camiseta da Insider Store promete proteger o seu dono de vírus como… o Corona. Custa R$ 95 e está esgotada. Vale lembrar que tem que usar máscara e é bom lavar as roupas nas ocasionais saídas de casa - e que uma camiseta assim não é promessa de não-contaminação.

Por que não fazem máscaras do mesmo material? Seria bem mais útil.

Nos EUA, a Otterbox começou a vender uma película antimicrobiana para iPhones - mas não diz se é antiviral.
Básica, mas nem tanto, a camiseta antiviral (Insider Store/Divulgação)
Mais simples
A Anatel modificou, por conta da pandemia, o processo de certificação/homologação de aparelhos na agência.
Games
Animal Crossing e a Economia
Você acha que Jeff Bezos é rico? Conheça a fortuna real de Tom Nook e as movimentações do mercado financeiro do jogo que deve estar circulando mais dinheiro que a Caixa Econômica Federal.

E mais um meme derivado do jogo: o perfil em que Tom e Isabelle dançam ao som de qualquer música.
Fim da espera
Dia 19 de junho (opa!) é a data do lançamento de “The Last of Us: Part II”. Vamos ver qual será o impacto da nossa nova realidade em um lançamento grande e esperado.
Super Nintendo contra o baixo astral
Nada melhor que um console antigo para unir famílias. É o que se espera quando se compartilha 100 Super Famicom (o Snes japonês) para pessoas em quarentena.
Leituras Longas
Profeta
O médico Ignaz Semmelweis descobriu no século 19, em Viena, que lavar as mãos com água e sabão era uma forma de combater doenças.
Mais um
Agora é o Mercury News, principal jornal do Vale do Silício, que começa a encontrar potenciais casos de Covid-19 em participantes da CES 2020, em janeiro.
Filosofia de boteco
A frase "Tá tudo bem?" (e variantes) não se encaixa bem quando falamos com outros nesse momento de crise. A Atlantic tenta achar alternativas à expressão.
TechBiz
Digitais
A rede de supermercados DIA% voltou a ter uma operação online discreta, por conta do Coronavírus. Detalhe: o e-commerce da marca saiu do ar no passado.

Você fala "Dia" ou "Dia Porcento"? Acredite, isso define mais do que você imagina, e parece que a humanidade se divide exatamente em dois grupos iguais baseados nisso. O Henrique é diaporcentista. 

E a Via Varejo encontrou um caminho interessante para aumentar as vendas online e chegar a níveis quase pré-pandemia - inclui WhatsApp e muito uso de CRM.
Máquina do tempo
O sistema de pagamentos do seguro desemprego nos EUA é movido ao velho e bom COBOL. Por conta disso - e da incapacidade de escalar rápido um sistema feito em algo de 1950 - os desempregados estão demorando a receber cheques, mas existe demanda por programadores que sabem o que é uma Identification Division. 

Por aqui, o sistema da Caixa Econômica Federal (site e app) vem dando problemas com o auxílio emergencial do governo federal.
Demissões da semana
Lyft cortou 17% da força de trabalho, Uber prepara algo em torno de 20% - e o CTO já saiu. O Mercado Livre cresce na crise, mas vai cortar investimentos.
Compartilhe